Grazie Capitano Del Piero!

Il Capitano

Il Capitano

No futebol dos dias atuais pouco se vê o velho “amor a camisa”. Porém, existem alguns jogadores que ainda pontuam esse termo tão esquecido. Em especial um jogador. Um cara que não só envergou o mesmo manto por quase duas décadas, um craque genial, que levou a 10 às costas, a braçadeira de capitão no braço e que honrou seu time suando nos surrados gramados da Serie-B italiana, do mesmo modo que fez conquistando e Champions League por sua squadra, a Juventus de Turim. É claro que falamos de Alessandro Del Piero, ou simplesmente Il Capitano.

Ale, como é chamado pelos bianconeri, foi um dos maiores jogadores de sua época. Astro da Juventus, poderosa equipe da Itália, desde 1993, sempre primou por muita categoria, seja com lindos gols (mais de 200 pela Velha Senhora) ou por suas cobranças de falta mortais. Ídolo do clube, com o qual conquistou diversos Campeonatos Italianos e uma Liga dos Campeões, e também do futebol italiano, o camisa 10 se sagrou campeão do mundo do a Azurra em 2006, anotando um gol na semifinal contra a Alemanha e também convertendo sua cobrança de pênalti na final, contra a França.

Festa, tetracampeonato do mundo e glórias, tudo parecia perfeito. Perecia, porque ao voltar para Itália Del Piero viu sua Juventus, atual bicampeã nacional, ser rebaixada para segunda divisão por conta de combinações na escolha de árbitros, realizadas pelos dirigentes do clube de Turim. Momento perfeito para buscar novos ares, com a fama de campeão do mundo não seria difícil fazer como Thuram, Zambrotta, Vieira, Ibrahimovic, Cannavaro, Emerson e outras estrelas da equipe que rumaram para outros clubes. Mas se Il Capitano fizesse isso não seria quem é.


O capitão bianconeri permaneceu e, de forma brilhante, conduziu a Velha Senhora de volta a Serie-A do Calccio Italiano. Sem os mesmos recursos que Milan e Inter, a equipe de Turim foi alvo fácil para os outros grandes por muito tempo. Mesmo assim o camisa 10 nunca deixou de mostrar seu talento, como nos dois gols marcados contra o Real Madrid, no Bernabéu, pela Champions League 08/09, partida em que saiu aplaudido pelos torcedores rivais.

Mesmo com alcunha de craque, Del Piero foi aos poucos perdendo espaço e, pasmem, a media que as temporadas passavam aceitava diminuir seu salário para continuar no clube. Sendo que atualmente aparece apenas como 22° maior salário de clube. Nesta temporada o camisa 10 não foi tão utilizado no inicio do campeonato Italiano, mesmo assim marcou gols importantes, como contra o Napoli, aos 35 da segunda etapa, que manteve a equipe na liderança de Serie-A.

Hoje, aos 37 anos, Del Piero foi titular e capitão na última partida do clube pelo torneio, e anotou um dos gols da Velha Senhora, que, de maneira invicta, conquistou o campeonato italiano. Ale, já era sabido, não permanecerá na Juventus na próxima temporada, porém, em um de seus últimos atos deixou mais uma lição de humildade nos agradecimentos pós título, lembrando que todos os jogadores que estiveram com a Juve nesses anos de penúria merecem a taça.

Discurso de Del Piero:

Ale beija o escudo da SUA squadra

Ale beija o escudo da SUA squadra

– É a festa por vencer mais uma vez dentro de campo. Por quando caímos, por quando soubemos que íamos cair e aceitamos isso, lutando para nos levantar novamente. É a festa por quando os outros festejavam e a gente estava apenas assistindo, por quando ninguém esperava que voltaríamos e começamos a subir, por quando encontramos nosso caminho. Essa é a festa pela conquista que veio com a última gota de suor. É a festa para todos que sempre acreditaram, para os torcedores que, ao invés de sumirem quando estavam na Série B, fizeram com que suas vozes fossem ouvidas ainda mais fortes e torceram na segunda divisão como se estivéssemos disputando um Scudetto.

Essa é a festa de Balzaretti, Belardi, Branco, Birindelli, Bojinov, Boumsong, Buffon, Camoranesi, Chiellini, De Ceglie, Giannichedda, Giovinco, Guzman, Kovac, Lanzafame, Legrottaglie, Marchionni, Marchisio, Mirante, Nedved, Palladino, Paro , Pequeno, Trezeguet, Venitucci, Zalayeta, Zanetti, Zebina. Do técnico Deschamps. Tinha que acabar assim. Obrigado a todos vocês, rapazes. Vamos aproveitar, foi muito merecido. Nós estávamos lá e finalmente estamos de volta. Tem sido uma cavalgada incrível e este campeonato tem um sabor mais especial que qualquer outro.

Por tudo que representa para a Juventus, para a Itália e para o mundo do futebol, só podemos agradecer por ter visto Del Piero, um gênio dentro de campo, dono de um caráter inquestionável e, para sempre, “O Capitão da Velha Senhora.”

– Grazie per tutto Capitano!

 

Sobre dolfoo

Sou o carinha que mora do lado do meu vizinho. Sou filho da minha mãe e do meu pai e irmão do meu irmão...
Esse post foi publicado em Esportes, Textos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s